3 benefícios do consumo de iogurte que você não pode perder

O iogurte é um produto lácteo natural elaborado principalmente com leite de vaca e repleto de bactérias benignas que oferecem múltiplos benefícios para a saúde.

Se você tem problemas de digestão, o seu nível de defesas é baixo e quiser ter ossos saudáveis, o melhor que você pode fazer é comer iogurte.

Saiba todos os detalhes sobre este magnífico alimento e Nutrição, Sem Mais.

O que é o iogurte?

3 benefícios do consumo de iogurte que você não pode perder

O iogurte é um produto lácteo fermentado que se obtém da fermentação do leite.

Você pode fazer com qualquer tipo de leite, mas sempre se pode empregar o leite de vaca.

É um líquido branco e espesso, com uma textura cremosa e um sabor muito característico adquiridos pela fermentação da lactose em ácido láctico.

Geralmente, o iogurte tem um sabor natural, mas hoje em dia é comum encontrar iogurtes de diferentes sabores, graças à adição de sabores: chocolate, morango, baunilha, banana…

Valor nutricional

Por calorias, o iogurte é composto de 47 % de gordura, 29 % de carboidratos e 24 % de proteína.

A maioria da gordura presente no iogurte é gordura saturada , e a quantidade que este contenha depende do tipo de leite que é utilizada em sua elaboração: leite integral, leite semi-desnatado ou leite desnatado.

Lembre-se, as gorduras saturadas são saudáveis e não causam doenças cardíacas.

Por outro lado, a gordura do leite de vaca tem uma característica única: contém mais de 400 tipos diferentes de ácidos graxos (1).

Quanto aos nutrientes, estes variam em função do tipo de iogurte e as bactérias usadas para sua fermentação: os iogurtes ricos em gordura possuem o aporte nutricional mais rico.

Confira:  Sintomas e Tratamento da Celulite

Uma embalagem de iogurte de leite integral (≅ 227 g) contém (2):

as

Quais são os benefícios que têm os componentes do iogurte?

Além disso, o iogurte contém uma série de compostos essenciais que lhe são atribuídas muitas propriedades saudáveis, e torná-lo um alimento muito importante:

Confira:  Noções básicas de SEO: cinco dicas e práticas recomendadas a serem consideradas para o seu site

3 benefícios saudáveis do iogurte

A maioria das propriedades saudáveis do iogurte devem-se ao seu conteúdo de probióticos, alguns organismos vivos que quando administrados em quantidades adequadas proporcionam ou geram efeitos benéficos à saúde do hospedeiro (10).

Vejamos em detalhe quais os benefícios se dá o consumo regular de iogurte:

1. Favorece a saúde digestiva

Uma das principais características dos probióticos é a sua capacidade de melhorar vários aspectos relacionados com o aparelho digestivo.

Graças ao alto conteúdo de estas bactérias, a ingestão de iogurte pode ser um tratamento muito eficaz para alguns distúrbios digestivos, já que ajuda a repor a flora intestinal:

Diarreia

São muitos os estudos que confirmaram que os probióticos presentes em produtos lácteos, como iogurte, podem combater diversos tipos de diarreia, por exemplo, a diarreia aguda, diarreia infecciosa ou a diarreia induzida por antibióticos (11).

Helicobacter pylori

As infecções causadas pela bactéria Helicobacter pylori são as principais responsáveis pelo aparecimento de úlceras péptidas, gastrite e câncer de estômago.

De acordo com os especialistas, a ingestão de probióticos provenientes de alimentos ou suplementos pode ajudar a reduzir os efeitos causados por este patógeno e, inclusive, erradicar a infecção causada pelo mesmo (12).

Doenças inflamatórias intestinais

Doenças como a síndrome do intestino irritável ou doença de Chron também podem ver reduzidos os seus sintomas quando são introduzidos probióticos na alimentação, por exemplo, através do consumo de iogurte (13).

2. Protege e reforça os teus ossos

O iogurte como alimento lácteo, é rico em cálcio e fósforo, dois minerais essenciais para o desenvolvimento e manutenção dos ossos.

Além disso, também possui uma grande quantidade de proteína, a qual atua em sinergia com o cálcio para melhorar a acumulação de este último e o metabolismo dos ossos (14).

Confira:  Prepare sua casa para a volta às aulas

Além disso, estudos têm revelado que os produtos lácteos melhoram a densidade óssea e reduz o risco de osteoporose e fraturas em idosos (15).

3. Aumenta as defesas

Ao consumir iogurtes naturais e inteiros, com presença de culturas vivas, ajudando a reforçar as defesas imunológicas.

De acordo com vários estudos, certas bactérias Lactobacillus podem influenciar de forma significativamente positiva na formação de anticorpos e a ativação de macrófagos, células encarregadas de destruir corpos estranhos localizados no organismo (16).

Você tem o iogurte algum efeito negativo para a saúde?

Geralmente, o consumo de iogurte é seguro e tende a ser bem tolerado pela maioria das pessoas que o consomem.

Não obstante, há que se lembrar que o iogurte contém lactose, um tipo de açúcar presente no leite que pode causar intolerância em algumas pessoas.

Se é verdade que a quantidade de lactose é muito pequena e muitos especialistas até mesmo, coincidem em que os probióticos presentes no iogurte favorecem a digestão da mesma (17).

Na minha opinião, não recomendo consumir iogurte em indivíduos com intolerância à lactose.

Por outro lado, as pessoas com alergia ao leite devem evitar o consumo de iogurte, já que este possui as mesmas proteínas que causam reações alérgicas: soro e de caseína.

ConclusiónEl iogurte natural e inteiro, com culturas vivas e ativas, é um alimento lácteo muito saudável, ideal para tratar problemas digestivos e reforçar a saúde óssea.

(1) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2596709/
(2) http://nutritiondata.self.com/facts/dairy-and-egg-products/104/2
(3) https://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/002424.htm
(4) https://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/002411.htm
(5) https://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/002403.htm
(6) http://lpi.oregonstate.edu/es/mic/minerales/potasio
(7) http://nutricionsinmas.com/para-que-sirve-la-proteina-del-suero-de-la-leche/
(8) http://www.journalofdairyscience.org/article/S0022-0302%2813%2900570-5/fulltext
(9) http://advances.nutrition.org/content/2/4/332.full
(10) ftp://ftp.fao.org/docrep/fao/009/a0512s/a0512s00.pdf
(11) http://hrcak.srce.hr/file/52467
(12) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4231502/
(13) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2656520/
(14) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4659357/
(15) http://onlinelibrary.wiley.com/store/10.1359/jbmr.1998.13.2.168/asset/5650130202_ftp.pdf?v=1&t=ij0bznyc&s=bf9502d5eb4fea16d3176437c4c5676201f0c847
(16) http://www.journalofdairyscience.org/article/S0022-0302(95)76784-4/pdf
(17) http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1365-2672.2007.03579.x/full

Artigos relacionados